quinta-feira, 10 de março de 2011

EU NÃO SOU VIDENTE!!!!!

Em 2 de outubro de 2010, publiquei aqui no blog um texto com uma profecia da vidente Neila Alkmin. Por incrível que pareça, tenho recebido desde então, ao menos UM e-mail solicitando marcação de consulta como se fosse eu quem tivesse feito a previsão e pior ainda, que eu utilizasse disso para ganhar dinheiro.


Para os que não me conhecem e chegaram aqui procurando na net pelo nome de Neila Alkmin, muito prazer! Sou Mel Gama, artista digital, espírita (porém com a mediunidade ainda não desenvolvida), faço semanalmente o Evangelho no Lar, estudo bastante sobre a Doutrina Espírita de Kardec, leio muito, pratico a caridade dentro das minhas possibilidades e JAMAIS cobraria por uma psicografia que eu recebesse, exemplificando aqui o nosso amado Chico Xavier.

Aproveito para deixar aqui algumas considerações que encontrei no site espiritismo.org e que traduzem bem o que eu gostaria de explicar.  

"Existe uma confusão muito grande a respeito do que é ou não é Doutrina Espírita ou Espiritismo. Isto porque há pessoas que não sabem que as palavras "espírita" e "espiritismo" foram criadas em 1857, na França, pelo codificador da Doutrina Espírita, Allan Kardec. Somente deveriam utilizarem-se destes termos os locais religiosos ou pessoas que seguissem os postulados desta doutrina.

Assim, cultos e religiões que de alguma forma têm em suas práticas a comunicação de Espíritos e a crença na reencarnação são confundidas erroneamente com o Espiritismo.


Na verdade, embora mereçam todo o respeito dos espíritas verdadeiros, estas seitas são adeptas do espiritualismo ou esoterismo, e não do Espiritismo.


Todos aqueles que acreditam na existência do Espírito são espiritualistas. Mas nem todos os espiritualistas são espíritas, praticantes do Espiritismo.


Para que uma casa religiosa seja espírita, ela deve seguir os ensinamentos contidos nas Obras Básicas da Doutrina Espírita e no Evangelho de Jesus. Geralmente, os locais espíritas recebem o nome de: Centro, Grupo, Casa, Sociedade, Instituição ou Núcleo Espírita. Deve ser legalmente constituído, de acordo com as leis vigentes no país em que está instalado. Mesmo ostentando este nome, quem os visita necessita estar atento para quais as atividades e as formas como as mesmas são praticadas por seus dirigentes e auxiliares.


Todo o serviço espiritual é gratuito: o verdadeiro centro espírita não cobra nenhuma orientação ou ajuda espiritual de seu público, nem condiciona o recebimento de curas ou salvação às doações. Dar de graça o que de graça receber, ensinou Jesus, em alusão aos conhecimentos espirituais. Não aceita dinheiro por serviços prestados mediunicamente. Seus dirigentes e trabalhadores têm profissões próprias, que lhes dão o sustento financeiro necessário para suas vidas. Quem sustenta materialmente a casa espírita são seus trabalhadores, através de doações mensais, destinadas ao pagamento de aluguéis, manutenção, divulgação doutrinária e aquisição de alimentos, roupas e demais objetos a serem distribuídos às famílias carentes ou instituições filantrópicas que sejam assistidas pelo grupo. Todo valor arrecadado será exposto em balanços mensais, para que tanto trabalhadores como frequentadores tenham acesso sobre onde é investido o dinheiro do centro espírita. Caso algum frequentador da casa queira doar algo ao núcleo, é preferível que a doação seja feita em gêneros alimentícios, roupas, materiais de construção e afins, que poderão ser destinados aos carentes ou mesmo utilizados na manutenção da casa. Se houver por algum motivo uma doação em dinheiro, o centro espírita deverá fornecer um recibo ao doador e inscrever esta doação no balanço mensal do grupo.
 
Cobrança pela ajuda espiritual: todo local que cobra dinheiro, favores ou exige qualquer coisa ou favor material devido à ajuda espiritual prestada não é um centro espírita. A cobrança financeira é própria de pessoas que vivem da exploração da crença alheia, contrariando os ensinos de Jesus. Há seitas que pedem dinheiro aos seus assistidos afirmando que será usado para o feitio de trabalhos espirituais, como a compra de velas, comida, roupas e coisas do gênero. Isso não é Espiritismo. Espíritos que se prestam a fazer serviços espirituais em troca de coisas materiais são entidades atrasadas, que nada de bom podem trazer aos que os procuram.

Não podemos comprar a paz de espírito e tranquilidade que buscamos, é isto que prega a Doutrina Espírita. Se não for esta a orientação do local, com certeza não é um ambiente espírita."


Meu beijo carinhoso e fiquem com Deus
Mel

2 comentários:

Valéria Ribeiro disse...

Muito bom Mel. Só fazendo uma ressalva. Na verdade Kardec não intitulou uma doutrina espírita esse termo veio com o agrupamento nos centros e suas necessidades. A Doutrina na verdade é dos espíritos, pois foram eles quem a troxeram em forma de instrução a kardec. O espiritismo se firma na trípice filosófica, científica e religiosa. (Filosófica pelo pensar estudar, científica pelo pesquisar e religiosa (embora não seja uma religião) por estar baseada no evangelho de Jesus onde temos como modelo e guia. Muita paz queria amiga do face. E se estiver errada em alguma coisa, gostaria que me corrigisse. bjs.

bia disse...

Infelizmente a tragedia das pedras aconteceu no inicio do ano, na serra
do rio de janeiro. vamos esperar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...