quinta-feira, 16 de março de 2017

Desapego

https://www.etsy.com/pt/listing/511503961/desapego?ref=shop_home_active_4
Hoje acordei inspirada e percebi que estava sentindo falta de escrever... mesmo escrevendo para que eu mesma possa ler no futuro. Sinto falta dos smiles - com eles expresso bem minhas emoções e os que eles nos apresentam são horríveis! 😂. Mas... vamos ao que nos trouxe aqui hoje.

Eu nasci no Rio de Janeiro - Brasil, há 55 anos atrás. Minha mãe saiu do interior do Espírito Santo logo após o fim da Segunda Guerra Mundial para viver com minha tia no Rio de Janeiro. Lá conheceu meu pai e eu acabei nascendo naquelas terras. Rio de Janeiro era a grande paixão de minha mãe! Ela dizia que não iria sair de lá nem morta e essas coisas que muita gente fala. Quando ela estava doente e na cadeira de rodas, já demenciando, eu dizia que iria levá-la para outra cidade mais tranquila e ela enlouquecia.

Em 2014, estive com meu marido em Portugal e ficamos encantados com a beleza do país, a tranquilidade, o clima e o povo. Cansados da violência e stress vividos no dia a dia do Rio de Janeiro, começamos a aventar a possibilidade de nos mudarmos para Portugal. Meu marido já havia sofrido um enfarto, é portador de 11 hérnias de disco e precisa manter o peso e controle emocional sempre em dia, além de necessitar ter uma atendimento médico bem perto para o caso de alguma emergência. A primeira cidade pela qual nos encantamos foi Praia de Mira - uma pequena cidade bem pertinho daqui de Figueira da Foz mas que não nos proporcionaria o atendimento médico necessário e que fica praticamente vazia fora dos meses de verão. Após dicas de um amigo residente em Portugal e a vontade de querer permanecer frente ao mar, a opção seria Figueira da Foz, que fica a míseros 30 minutos de Coimbra, 1:30h do Porto e 2 horas de Lisboa. Uma cidade que fica no centro de Portugal, cercada de belos areais, sol na grande maioria do ano (apesar de alguns dias com frio - o que fica gostoso), paz e gente de bem.
Então vamos aos passos:

Passo 1: - Saco cheio de onde você vive.
Ou seja, por mais que você queira pesar os prós e contras, não vai conseguir que ninguém mais coloque panos quentes para tapar esse furo que é estar de saco cheio.

Passo 2: - Analisar com calma para onde se mudar.
Faça uma planilha contendo tudo que você gasta atualmente onde você vive - saúde, escola, habitação, alimentação, transporte.
Só para se ter uma ideia, no Brasil eu pagava R$ 1.200,00 para ter um plano de saúde. Em Portugal eu pago o equivalente a R$ 220,00 com a diferença de que existe uma comparticipação, ou seja, cada vez que eu preciso ir ao médico ou fazer algum exame, pago uma pequena taxa. Entretanto, esta taxa é facilmente deduzida dos valores que se tem quando se precisa comprar alguma medicação pois o Governo Português paga uma comparticipação na maioria dos medicamentos prescritos.
Outro bom exemplo é o valor pago para empregadas domésticas, faxineiras e afins. No Brasil paga-se a média de R$ 150,00 por dia de faxina. Aqui em Portugal, a média é de R$ 21,00 a hora. Meu apartamento tem pouco mais de 100 m² e a faxineira leva no máximo 4 horas para fazer tudo, sem dizer que tenho uma varanda imensa com vidro para tudo que é lado.
Escola eu nem coloco a questão! Já não tenho filho pequeno há muitos anos mas vejo pelos amigos que aqui em Portugal é muitíssimo barato se manter criança em escola.

Passo 3: - Desapego.
Resolveu que realmente está pronta para se mudar? Largar tudo e ir viver em um país diferente, de cultura e costumes? Hora de desapegar! Experimente separar tudo aquilo que você considera ser supérfluo e que você poderá adquirir novamente mais novo e no local onde vai viver. Tente fazer um bazar com as amigas e vender o que te parece ser coerente. Aproveite para DOAR algumas peças - faz bem ao coração!
Cheguei a vender peças que custaram muito caro por R$ 10,00. Na totalidade, deu uma boa diferença e você verá que vale a pena!
O mais difícil é a parte que envolve papéis - alguns papéis antigos como documentos não há como se desapegar. As fotos antigas da minha mãe, eu deixei com a irmã dela, depois de escanear as minhas preferidas, assim como as minhas e do meu filho.
Livros, infelizmente, é uma questão de força. Eu tinha uma enorme coleção de livros espíritas e tive que me desfazer dela. Hoje já estou com uma boa gama de livros em minha coleção.

Passo 4: E a família? Os amigos?
Esse é um ponto delicado e importante. Deixei no Brasil uma irmã de criação, um irmão paterno e muitos amigos. Mantenho contato com todos através das redes sociais e telefone mas infelizmente tenho quase certeza de que não os verei novamente pois não tenho a menor vontade de voltar ao Brasil. Só de pensar na violência, na falta de segurança, no trânsito, no calor, chego a pinicar! Sem chances... a não ser por uma razão inadiável e sem opção.
Fiz muitos amigos por aqui mas aquele "calor brasileiro" é difícil de se encontrar. Os portugueses em geral são muito fechados, não gostam de demonstrar seus sentimentos ou dizer que estão doentes e isso me deixa agoniada porque eu sou toda abraços!!! Muitas vezes dá um enorme vazio no peito, aquela vontade de largar tudo e voltar para o meu país... mas vontade é coisa que vem e passa!


Passo 5: Meus bichinhos de estimação? Como levá-los?
Este é um passo que vai requerer tempo, dedicação e persistência. Meu nego jamais seria deixado para trás! Eu o encontrei nas ruas de Copacabana, já está comigo há quase 9 anos, retirou um câncer em janeiro de 2016 e a médica queria que ele passasse por uma quimio, a qual eu recusei pois iria baixar a imunidade dele para completar quase 12 horas dentro de uma caixa de transporte e um porão de avião. Comprei uma caixa bem grande e medindo a altura em que ele ficaria de pé, coloquei sem as portas na minha sala e todos os dias eu colocava um biscoitinho lá dentro e o chamava para ir buscar. Assim ficava com ele dentro da caixa por algum tempo para ele ir se habituando. Mas devo confessar que foi um treinamento para ele e para mim pois eu achava que não iria pregar o olho durante toda a viagem com medo de chagar no fim da viagem e ele estar morto!
Dependendo do local para onde você vai se mudar, existem várias regras a serem cumpridas - alguns países exigem que o animal fique em quarentena. Graças a Deus não foi o caso de Portugal e do meu nego senão eu iria morrer! Verifiquei todos os exames necessários para sua entrada e o principal é o exame de raiva que é MUITO CHATO e caríssimo pois a raiva já não existe em países de 1º. mundo. Chip é outra coisa que você deve pensar em colocar no seu animal se você já tem uma pulguinha dizendo que você irá se mudar algum dia. No meu caso, ou melhor, no do meu nego, demorou porque ele não tinha chip. Primeiro você manda colocar o chip, após 30 dias, faz a vacinação de raiva (mesmo que sua vacinação já esteja em dia) e depois de 30 dias de ter tomado a vacina, vai mandar fazer a sorologia. O resultado final leva meses para ficar pronto e é caro!
ATENÇÃO! É OBRIGATÓRIA A IMPLANTAÇÃO DO MICROCHIP ANTES DA VACINAÇÃO ANTIRRÁBICA.

A COLETA DEVERÁ SER REALIZADA 30 (TRINTA) DIAS APÓS A VACINAÇÃO E 90 (NOVENTA) DIAS ANTES DA VIAGEM.
Veja mais informações AQUI
Importante que se você não seguir direitinho este protocolo, corre o risco do seu bichano ficar preso no aeroporto de destino.
Meu nego tinha excesso de peso no Rio. Com as caminhadas diárias que fizemos por aqui, ele perdeu 7 quilos e continua fazendo o acompanhamento dos nódulos através de ecografia, já foi operado uma vez e parece que sempre viveu em Portugal - ele ADORA viver aqui!
Se alguém quiser mais detalhes sobre este assunto, é só solicitar nos comentários, que dou as dicas com prazer!

Passo 6: Cheguei... e agora?
Agora você está no local que você escolheu para viver e, quem sabe, morrer... Foi uma escolha SUA e terá que arcar com as consequências. Vai se sentir só muitas vezes pois aqueles amigos chatos que apareciam sem avisar não vão estar por perto, seu telefone vai tocar menos vezes e você vai chorar quando estiver doente e achar que fez a maior besteira da sua vida! Mas é por pouco tempo... vem e passa! Toda a paz, a segurança, o canto dos pássaros, das gaivotas... tudo isso vai fazer você ter certeza de que fez a opção correta. Comece a fazer novos amigos. Deixe seu coração mais aberto para que diferentes pessoas possam entrar. Seja mais tolerante.
provavelmente você vai engordar até se acostumar com o novo tipo de alimentação e clima. Mas nada que uma boa caminhada faça com que a balança retroceda.
Tenha força de vontade, não desanime, procure grupos de apoio, redes sociais, amigos novos onde você vive, passeie por ruas que você nunca ousou passear e VIVA!

Se precisar de um help, estou aqui para ajudar... 🙌😘

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...