segunda-feira, 23 de abril de 2018

Síndrome de Borderline? Você sabe o que é?

Você já passou pela situação de estar perto de alguém que você desconhece que possa estar passando por uma situação grave como esta? Hoje vou falar sobre a Síndrome de Borderline.


Vou fazer um resumo de tudo que eu li e aprendi na internet sobre isso. Não sou médica. Se eu falar alguma besteira, por favor, me perdoem e me corrijam. Sei que é uma situação muito delicada e muita gente pode se sentir atingida de alguma forma com o que eu falar. E caso você se identifique, conte seu caso... desabafar ajuda e eu darei o meu melhor para lhe ajudar! 😉👍

A Síndrome de Borderline é também conhecida como Transtorno de Personalidade Limítrofe e é caracterizada por um padrão de emoções com instabilidade emocional, sensação de inutilidade, insegurança, impulsividade, mudanças súbitas de humor (euforia e tristeza profundos num só dia), gastar dinheiro descontroladamente, comer compulsivamente, desorganização, medo de rejeição e abandono, compulsividade,  abuso de álcool e drogas, irritabilidade e agressividade, medo de ser abandonado por amigos e familiares (por isso geralmente eles se afastam de todos e preferem o isolamento), dificuldades em aceitar críticas, hora de sono irregular, etc. 

Geralmente estes sintomas começam a se manifestar na adolescência e se tornam mais freqüentes no início da vida adulta, até mesmo em função da cobrança gerada pela chegada da idade adulta. Em casos mais graves, pode ocorrer a automutilação e até mesmo o suicídio. Por esta razão é necessário que o “border” seja acompanhado por psiquiatra e terapeuta. 

A Síndrome de Borderline está intimamente ligada à predisposição genética mas no entanto, experiências emocionais fortes quando criança, enfrentamento de doença ou morte de familiar muito próximo, separação dos pais e outras causas também podem levar ao desenvolvimento desta Síndrome. 

Somente o médico poderá fazer o diagnóstico correto e dar o suporte necessário. O tratamento é realizado com o uso de medicamentos antidepressivos, estabilizadores de humor e calmantes que devem ser indicados pelo médico psiquiatra. Além disso, é recomendável que tenha um acompanhamento com um terapeuta para poder lidar com as suas emoções negativas e saber lidar com seus momentos de estresse. Em raríssimos casos a pessoa pode melhorar sem qualquer tratamento mas só terá a ganhar se puder contar com o apoio médico e terapêutico.    
Achei muito interessante esta lista de dicas que podem ajudar àqueles que são portadores de Borderline:

Como posso ME ajudar se eu tiver a Síndrome de Borderline?

Embora possa demorar algum tempo, você pode sim melhorar com o tratamento. Para se ajudar:

  • Fale com o seu médico sobre as opções de tratamento e siga as orientações.
  • Tente manter uma rotina estável de refeições e horas de sono.
  • Pratique atividades relaxantes ou exercícios físicos para ajudar a reduzir o estresse.
  • Defina objetivos realistas para você.
  • Quebre grandes tarefas em pequenas e defina algumas prioridades. Metas menores são mais fáceis de serem atingidas e geram maior engajamento e motivação.
  • Tente passar algum tempo com outras pessoas e confiar em um amigo ou membro da família.
  • Diga aos outros sobre eventos ou situações que podem desencadear sintomas.
  • Espere que seus sintomas melhorem gradualmente com o tempo, não imediatamente. Seja paciente!
  • Identifique e procure situações, lugares e pessoas que transmitam conforto a você.
  • Continue a ler, estudar e educar-se sobre este transtorno.
  • Não beba álcool ou use drogas ilícitas – provavelmente irá piorar as coisas.

    Aconselho este vídeo que trata muito bem do assunto e dá excelentes dicas:

Espero que este texto possa ajudar de alguma forma – seja algum portador de Borderline, familiar ou amigo. No que eu puder ajudar, conte comigo que darei sempre o meu melhor. Que Deus nos abençoe e proteja todos os que, de alguma forma, estão distanciados da fé pois é ela quem nos fortalece o coração.

Mel



sábado, 24 de fevereiro de 2018

Não dá mais, Brasil...



Há algum tempo atrás, publiquei uma nota chamada "DESAPEGO" onde conto as fases de decisões para sair do Brasil. Hoje assisti a uma reportagem da SIC Portugal mostrando a quantidade de brasileiros que têm vindo para Portugal. Invariavelmente fico emocionada com as histórias contadas - é o MEU país - nasci e fui criada em Copacabana (Rio de Janeiro) por 54 anos e vivo em Portugal há quase 2 anos - muitíssimo feliz, obrigada!

Entretanto, muita gente pensa que é fácil sair do nosso ninho. Muitos falam que "foram abandonados" por mim, que "agora sou chique porque moro na Europa", etc. Mas se esquecem de que é preciso muita coragem para finalizar este projeto - saber que está vivendo em um local onde você fica destinado à sua própria sorte, não sabe se vai continuar viva no quarteirão seguinte ao da sua casa. Tudo isso é um somatório de razões para ir embora. E a opção NÃO É VOLTAR.

Deixei muita gente que amo muito no Brasil, muitos amigos, parentes e animais. Mas foi uma decisão tomada na hora certa, com a pessoa certa e no local exato. Agradeço a Deus por isto.

Que Deus ajude a este país tão lindo, cheio de riquezas naturais, de uma comida incomparável e de um povo tão querido! Claro que quero o melhor para o Brasil! Continuo na torcida por você, meu verdinho querido! 💖😅
Assista ao vídeo na minha conta pessoal do Facebook.

Beijão
Mel

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...